Os voluntários muçulmanos de Hitler, 1943

três soldados muçulmanos da ss nazista lendo livrete sobre islã e judaísmo
Bósnios muçulmanos da Divisão SS Handschar lendo doutrina nazista.
Créditos: Mielke, 1943, Sommer. Bundesarchiv. Bild 101. Mielke-036-23.

Voluntários muçulmanos bósnios da Divisão SS Handschar leem doutrina nazista na forma de um livrete Intitulado Islam und Judentum (“Islão e Judaísmo”).

Em 1943, a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) cada vez mais se projetava contra Berlim e as dificuldades para o III Reich se multiplicavam. Ciente disso e buscando solução, o comandante da temida Waffen-SS, Heinrich Himmler, decidiu ampliar mais uma vez o quadro da força militar de elite. Com o aval de Hitler, a 13ª Divisão de Montanha Waffen-SS Handschar foi criada e lançada sobre os Balcãs, para dar combate aos partisans (guerrilheiros comunistas) de Tito.

Inicialmente, apenas “arianos” seriam selecionados para Waffen-SS. Esta, além de formidável unidade militar, deveria representar o “ideal ariano”. No entanto, pelas dificuldades encontradas na guerra, foi aceita a ajuda de simpatizantes estrangeiros. O emprego de bósnios, quando analisado de acordo com a cultura nazista, é tido como um dos maiores equívocos de Himmler, onde teria ocorrido a total deturpação do ideal.

Assim como a SS-Handschar, outras “divisões estrangeiras” foram criadas em apoio à ideologia nazista. Diversos países foram “representados” por seus nacionais nas forças armadas do III Reich — incluindo franceses, ingleses, russos e norte-americanos.

REFERÊNCIAS:
CAWTHORNE, Nigel. A História da SS: O Implacável Esquadrão da Morte de Hitler. trad. Marina Nobre. São Paulo: Madras, 2012.
GILBERT, Adrian. Enciclopédia das Guerras: Conflitos Mundiais Através do Tempo. trad. Roger dos Santos. São Paulo: M. Books, 2005.
Autor: Eudes Bezerra

30 anos, pernambucano arretado e graduado em Direito. Diligencia pesquisas sobre História Militar, Crime Organizado e Sistema Penitenciário. Gosta de ler, escrever e, às vezes, arrisca-se – tragicamente – nos desenhos. Na Internet, atua de capacho a patrão, enfatizando a criação de conteúdo.

Publicações de Eudes Bezerra
Top