O Led Zeppelin e o Live Aid, 1985

remanescentes do Led Zeppelin Live Aid
Os remanescentes do Led Zeppelin no Live Aid, 1985. Créditos: Ebert Roberts.

Ressuscitado às pressas, o Led Zeppelin apresentou-se e, embora tenha feito um show repleto de contratempos, arrebatou gritos da multidão ao cantar alguns dos mais poderosos clássicos do Rock e do próprio Led — a revolucionária banda das décadas de 1960 e 1970 —. O Live Aid foi tão importante que metalizou o 13 de julho como dia Internacional do Rock!

O megaconcerto mundial do Rock fez seus amplificadores estrondarem no dia 13 de julho de 1985. O colossal evento da solidariedade foi televisionado para aproximadamente 100 países e se acredita que mais de 1,5 bilhão de espectadores tenham atendido ao chamado das dezenas de lendas do Rock mundial que se apresentaram.

Led Zeppelin
Led Zeppelin, a grande banda dos anos 1960 e 1970. Créditos: Neal Preston.

Visando arrecadar fundos em benefício dos cidadãos pobres da Etiópia, os deuses do rock fizeram seus instrumentos rugirem. O Live Aid teria angariado aproximadamente 100 milhões de dólares, que foram revertidos à causa primária do evento: o alívio dos que sofrem com a fome. Muitos outros eventos, shows e discos foram concretizados a partir do evento, o que gerou outros milhões a diversas causas.

Dentre os destaques do festival, encontrava-se o Led Zeppelin, uma das bandas de maior sucesso, inovação e influência da História. Os integrantes da banda haviam encerrado oficialmente suas atividades em 1980, após a trágica notícia da morte do seu baterista, John Bonham, apelidado de “Bonzo”. Contudo, em 13 de julho de 1985 ocorreu o Live Aid e os remanescentes da lendária banda foram convocados para se apresentar no evento solidário.

Robert Plant e Jimmy Page Live Aid
Robert Plant e Jimmy Page no Live Aid, 1985. Créditos: autoria desconhecida.

Infelizmente, a apresentação não alcançou as expectativas, mas, ainda assim, fez valer a pena. Dentre as falhas, encontra-se a dos bateristas escolhidos para servir à banda: dois bateristas foram designados para ocupar a vaga do gigante que deixara a “batera” do Led Zeppelin cinco anos antes, mas que, lamentavelmente, pareciam desconhecer as músicas. Ou, como alguns dizem: não se encontrassem aos pés de Bonzo. Há controvérsias…

Antes mesmo do show, alguns membros da banda, assim como organizadores do evento, mostravam-se insatisfeitos e reclamavam das condições para o show. Anos depois e por diversas vezes todos se lamentariam por não terem se esforçado mais, visto que a causa era justa. Como o próprio Jimmy Page (guitarra), por ocasião de outro show beneficente (2007), reafirmou sobre o Live Aid: “tínhamos de estar preparados e empenhados”.

Apesar dos contratempos, os ecos da grande banda dos anos 70 foi mais forte que qualquer coisa e avassalou o espírito daqueles que esperavam para vê-la no palco mais uma vez.

O Led Zeppelin no Celebration Day
O Led Zeppelin em show recente em Londres. Créditos: Ross Halfin / Getty Images.

E-Books Mais Vendidos

REFERÊNCIAS:
BREAM, Jon. Whole Lotta Led Zeppelin: A história ilustrada da banda mais pesada de todos os tempos. trad. Gustavo Mesquita, Luís Fragoso e Anna Paola Monteiro. Rio de Janeiro: Agir, 2011.
MOREIRA, Marcelo. O dia em que o rock mudou a história da humanidade. Acesso em: 13. Jul. 2013.
Portal Terra. Em 1985, Live Aid inspirava celebração do Dia Mundial do Rock. Acesso em: 13. Jul. 2013.
IMAGEM(NS):
Buscou-se informações para creditar a(s) imagem(ns), contudo, nada foi encontrado. Caso saiba, por gentileza, entrar em contato: contato@incrivelhistoria.com.br
Autor: Eudes Bezerra

30 anos, pernambucano arretado e graduado em Direito. Diligencia pesquisas sobre História Militar, Crime Organizado e Sistema Penitenciário (além de tudo que consta no site). Gosta de ler, escrever e planejar (enlouquece quando o plano dá certo!). Na Internet, atua de capacho a patrão, enfatizando a criação de conteúdo.

Publicações de Eudes Bezerra
Top