Mossad – guia completo sobre o serviço secreto de Israel

agentes do Mossad em treinamento
Mossad: em permanente estado de guerra. Treinamento árduo e perseverança no combate, o Mossad é caracterizado pelo idealismo dos seus membros que vivem em guerra sem trégua com os seus vizinhos. Créditos: autoria desconhecida. Fotomontagem: Eudes Bezerra.

Reputado como um dos mais eficientes e ousados serviços secretos do planeta, o Mossad de Israel vem colecionando êxitos fabulosos, como o sequestro em solo argentino do Tenente-Coronel da SS nazista Adolf Eichmann. Seja no Oriente Médio seja ao redor do mundo, o Mossad está presente. Tenha certeza disso!

Só para você ter uma ideia, o serviço chega a passar na frente da Agência Central de Inteligência (CIA), a companhia americana, e do Comité de Segurança do Estado (KGB), da antiga União Soviética.

Quer conhecer esse implacável serviço secreto? Continue acompanhando o artigo.

camiseta de história

SUMÁRIO

1 Fundação e significado
2 Como o serviço secreto Mossad foi iniciado?
⠀⠀2.1 Nokmin (Vingadores)
3 Algumas das principais operações do serviço secreto Mossad
⠀⠀3.1 Discurso de Nikita Khrushchov
⠀⠀⠀⠀⠀3.1.1 Nikita Khrushchev desmistifica Josef Stalin
⠀⠀3.2 Sequestro de Adolf Eichmann na Argentina
⠀⠀3.3 Captura do MIG-21
⠀⠀3.4 Informações vitais para a Guerra dos Seis Dias
⠀⠀3.5 Vingança contra o Setembro Negro
4 A loira de Dubai
⠀⠀4.1 O fim dessa história
Referências

1 FUNDAÇÃO E SIGNIFICADO

Antes de qualquer coisa, faz-se importante frisar que a exata origem do Mossad é um fato embaraçado, quando não desconhecido, por ser fruto da união de diversas organizações paramilitares, sendo a versão desta matéria a mais comum e aceita.

O serviço secreto israelense teria sido formalmente criado em dezembro de 1949, através da orientação do então primeiro-ministro e fundador do Estado de Israel, David Ben-Gurion.

Mossad é uma palavra hebraica que significa “O Instituto”. Porém, na prática, a palavra não significa somente “instituto”. Mossad é o nome dado para o instituto de inteligência ou serviço secreto do Estado de Israel.

David Ben-Gurion ratificando a criação de Israel
No Museu de Tel Aviv, o então líder da comunidade judaica na Palestina, David Ben-Gurion, proclamou a criação do sonhado Estado de Israel: “Este é o direito natural dos judeus serem donos de seus próprios destinos, assim como todas as outras nações, em seu próprio Estado soberano”. (The History Channel, 2014, p.290) Fotografia: Government Press Office (GPO).

2 COMO O SERVIÇO SECRETO MOSSAD FOI INICIADO?

O serviço secreto Mossad teve sua origem por meio de ações de espionagem e contraespionagem realizadas por membros da Haganá (“defesa”).

A Haganá, por sua vez, era uma organização paramilitar composta por judeus e judias que operava na Palestina entre os anos de 1930 e 1940. Foi essa organização que antecedeu as Forças de Defesa de Israel (o atual exército israelense).

Ezra Danin foi um dos primeiros espiões da Haganá. Ezra era um agricultor que realizava serviços passando informações sobre endereços, hábitos cotidianos e placas de carros de possíveis alvos árabes (pessoas que estavam envolvidas em milícias antissionistas da época).

Membros da Haganá em operação
Membros da Haganá, a predecessora das modernas Forças de Defesa de Israel, em treinamento no Vale do Yizrael, 3 de janeiro de 1948. Créditos: Zoltan Kluger / GPO.

Ezra começou a fazer parte de Haganá e, algum tempo depois, criou o Shai. O Shai era uma unidade especializada em espionagem dentro da Haganá. O Mossad também foi formado pela Jewish Brigade Group, que era uma brigada histórica que lutou na Itália durante a Segunda Guerra Mundial (1939–1945).

Na época da Segunda Guerra, a função principal dessa brigada era fazer o transporte seguro e clandestino de judeus europeus da Europa para a Palestina. Durante as suas incursões a brigada acabou por descobrir os terríveis campos de extermínio da Alemanha Nazista.

Tropas americanas em campo de concentração nazista
As tropas norte-americanas tomaram um tremendo susto quando começaram a encontrar os campos de extermínio de Adolf Hitler: as imagens eram chocantes e o cheiro brutal. Créditos: Revista Life.

2.1 Nokmin (Vingadores)

Aterrorizados com as cenas de tantos judeus e outros assassinados das formas mais brutais, os combatentes fundaram o Nokmin (“Vingadores”) para fazer a retribuição aos nazistas.

O Nokmin era formado por verdadeiros esquadrões de assassinos vingadores que caçavam e eliminavam oficiais nazistas da Gestapo (polícia secreta alemã) e da Schutzstaffel (a elite militar e ideológica do Terceiro Reich Alemão).

O Nokmin começou a atuar em 1945, no fim da Segunda Guerra Mundial, onde os seus esquadrões procuravam levar a morte aos nazistas das mais diversas e criativas formas.

O grupo atuava em diversas regiões, principalmente onde existia a possibilidade dos antigos oficiais nazistas de alta patente e com poderes de mando estarem escondidos.

emblema do Mossad
Um dos lemas do Instituto: “Onde não há sábio conselho, a nação cai; mas na multidão de conselhos há segurança”. Escudo do Mossad, cuja sede fica na cidade de Tel Aviv. Créditos: Ronaldinho King.

3 PRINCIPAIS OPERAÇÕES DO SERVIÇO SECRETO MOSSAD

Como dito anteriormente, o Mossad é uma das agências de inteligência mais temidas do mundo. Isso acontece por causa da sua eficiência e persistência em alcançar os resultados desejados.

Abaixo você pode conferir algumas de suas operações mais famosas:

3.1 Discurso de Nikita Khrushchov

Obtiveram o discurso secreto em que Nikita Khrushchov no qual o então líder soviético condenava e desmitificava a imagem Josef Stalin, causando um tremendo choque na cúpula do partido comunista.

“É errado elevar um único indivíduo à condição de quase deus” — Khrushchev sobre Josef Stalin.

3.1.1 Nikita Khrushchev desmistifica Josef Stalin

No dia 25 de fevereiro de 1956, durante discurso no 20º Congresso do Partido Comunista da União Soviética (PCUS), o então líder soviético Nikita Khrushchev chocou os comissários do próprio partido e convidados estrangeiros com suas afirmações sobre transgressões e crimes do seu predecessor, Josef Stalin.

Khrushchev, municiado por documentos e fazendo longas citações, denunciou o culto ao ex-comandante da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e deu causa a agitações e revoltas políticas nos centros comunistas de todo o planeta.

Stalin, falecido em 5 de março de 1953, além de ter sido um tremendo falcão na política internacional e lutado na coalização que venceu a Alemanha Nazista na Segunda Guerra Mundial (1939–1945).

Stalin governou a União Soviética por quase 30 anos com mãos de ferro, tendo neste período sido responsabilizado pela política de terror que teria assassinado aproximadamente 20 milhões de pessoas, deportado outras 28 milhões e escravizado mais 18 milhões nos campos de trabalhos forçados (os simplificadamente chamados GULAGS).

Khrushchev permaneceu calado durante décadas — os anos de aço em que Stalin se encontrava no poder — e assim evitou a morte certa ou uma “viagem” aos GULAGS, como tantos outros membros do partido sofreram.
Todavia, por sua postura considerada fora dos padrões soviéticos (“reformista”), acabou sendo afastado do poder em 1964 e sucedido por Leonid Brejnev.

Nikita Khrushchev discursando no 20º Congresso do Partido Comunista da União Soviética (PCUS)
Nikita Khrushchev discursando no 20º Congresso do Partido Comunista da União Soviética (PCUS). Créditos: AFP / Getty Images.

3.2 Sequestro de Adolf Eichmann na Argentina

Em 11 de maio de 1960, agentes do Metsada (unidade operacional do Mossad) sequestraram o oficial nazista Adolf Eichmann na Argentina, levando-o de forma secreta a Israel onde foi julgado, condenado e enforcado.

A ação intitulada de Operação Garibaldi contou com auxílio do caçador de nazistas Simon Wiesenthal e pôs o Mossad na esfera dos serviços de inteligência mais eficazes do mundo.

Adolf Eichmann com uniforme SS
Adolf Eichmann, o responsável pela logística do Terceiro Reich, o homem que embarcou milhões de pessoas rumo à morte em escala industrial. Créditos: autoria desconhecida.

3.3 Captura do MIG-21

Chamada de Operação Diamante, a operação foi bem sucedida e tinha o intuito de conseguir um exemplar do excelente caça soviético MIG-21 para estudá-lo na chamada engenharia reversa.

O Mossad conseguiu fazer com que um piloto de caça iraquiano desertasse e simplesmente pousasse em Israel, entregando o novíssimo e avançado MIG-21 de bandeja a Israel.

No arsenal de Israel e dos Estados Unidos não tinha nada parecido, mas com o MIG em mãos rapidamente a União Soviética perdeu a vantagem que possuía.

MIG-21 da Operação Diamante
O caça MIG-21 da força aérea do Iraque capturado pelos israelenses. O caça criado pela União Soviética se encontra atualmente exposto no Museu da base aérea de Hatzerim. Créditos: Oren Rozen.

3.4 Informações vitais para a Guerra dos Seis Dias

Em uma de suas ações mais incríveis, o Mossad conseguiu informações sobre o posicionamento de armas, tropas e bunkers inimigos que seriam usados para atacar os inimigos de Israel na Guerra dos Seis Dias.

Na guerra Israel fez um ataque preventivo e simplesmente trucidou a coalizão árabe de modo fulminante, arrasando principalmente as tropas egípcias, sírias e jordanianas.

O espião do Mossad que conseguiu as informações foi tão bem sucedido na sua missão que à época estava cotado para se tornar ministro da Síria.

3.5 Vingança contra o Setembro Negro

Chamada de Operação Cólera de Deus, a ação teve o intuito (e êxito) de eliminar todos os responsáveis pelo terrível Massacre de Munique durante os Jogos Olímpicos de Verão de 1972, conseguindo eliminar dezenas de envolvidos no atentado que vitimou 11 atletas de Israel e 1 policial da Alemanha Ocidental.

Tratou-se de uma grande e ousada ação internacional aprovada pela primeira-ministra de Israel, Golda Meir, e que reafirmou a capacidade de Israel de caçar seus inimigos em qualquer lugar do planeta.

A operação causou grandes problemas diplomáticos diante do desrespeito do Estado de Israel em agir ilegalmente, cometendo seus assassinatos, dentro de outras nações soberanas.

terrorista encapuzado em prédio
Terrorista do Setembro Negro no edifício onde a delegação israelense se encontrava refém. Créditos: autoria desconhecida.

4 A LOIRA DE DUBAI

Em janeiro de 2010, uma mulher loira embarcou em um voo da Air France, em Paris. O destino era Dubai. O funcionário da imigração dos Emirados Árabes Unidos verificou o passaporte da mulher e descobriu que ela era Gail Folliard, 23 anos, irlandesa.

A moça ficou hospedada no Al Bustan Rotana, um hotel cinco estrelas da cidade. Porém, ninguém desconfiou que a mulher loira era uma espiã de Mossad.

A jovem fazia parte de uma operação com o intuito de matar Mahmoud al-Mabhouh, então o maior traficante de armas do Oriente Médio.

Mabhouh estava em Dubai com o objetivo de fazer negócios relacionados com a compra de mísseis iranianos para o grupo palestino Hamas. Ele ficou hospedado no mesmo hotel que a mulher loira.

A loira ficou prestando atenção nos passos do árabe e, possivelmente, foi a própria que o convenceu a abrir a porta do quarto. O acontecimento ocorreu por volta das 20h30.

Quando o árabe abriu a porta do quarto, outros dois funcionários do Mossad entraram no seu quarto e praticaram a execução.

Os funcionários do hotel cinco estrelas só chegaram a encontrar o corpo no dia seguinte, em cima da cama. O médico de plantão afirmava que tinha sido um ataque cardíaco. Mas os exames mostraram que causa mortis era proveniente da inserção exagerada de um relaxante muscular no sangue do árabe.

agente loira do mossad e dois homens
A atriz israelense Bar Rafaeli interpretando a loira do Mossad no filme Kidon, de Emmanuel Naccache. O filme, apesar da seriedade do tema, é uma comédia. Créditos: Kidon (IL; Naccache; 2013).

4.1 O fim dessa história

A polícia de Dubai chegou à conclusão que o instituto Mossad tinha aplicado a droga na coxa do árabe. A ideia, segundo informações, é que ele não tivesse como reagir ao ataque. Depois, o grupo continuou com o plano e o sufocaram com travesseiros. O intuito era simular uma morte natural.

Como sempre acontece nesses casos, o estado de Israel realizou um discurso incerto, que não explicava muita coisa. Em nenhum momento Israel afirmou ou negou que Mossad tenha sido o responsável pela morte do árabe.

Mesmo tentando desconversar, muitos especialistas não possuem dúvidas de que o serviço secreto Mossad continua na ativa.


Gostou de saber mais sobre Mossad? Então não deixe de conferir a oferta que preparamos para você. Clicando no link, você pode comprar camisas com temas históricos. Aproveite enquanto estamos com 10% de desconto na primeira compra. A oferta é por tempo limitado!

camisetas de história
estampas de história

REFERÊNCIA(S):

DIOGO, José-Manuel. As grandes agências secretas: os segredos, os êxitos e os fracassos dos serviços secretos que marcaram a história. São Paulo: Via Leitura, 2013.
FRATTINI, Eric. Mossad – os carrascos do Kidon: a história do temível grupo de operações especiais de Israel. adp. Alessandra Miranda de Sá. São Paulo: Seoman, 2014.
LEUZINGER, Bruno. A fulminante prisão de Adolf Eichmann. Acesso em: 22 mar. 2019.
MASSON, Philippe. A Segunda Guerra Mundial: História e Estratégias. trad. Angela M. S. Corrêa. São Paulo: Contexto, 2011.
SZKLARZ, Eduardo. Mossad: eficiência implacável. Acesso em: 4 abri. 2019.
IMAGEM(NS):
Buscou-se informações para creditar a(s) imagem(ns), contudo, nada foi encontrado. Caso saiba, por gentileza, entrar em contato: [email protected]
Autor: Eudes Bezerra

31 anos, pernambucano arretado e graduado em Direito. Diligencia pesquisas especialmente sobre História Militar, Crime Organizado e Sistema Penitenciário (além de tudo que consta no site). Gosta de ler, escrever e planejar. Na Internet, atua de capacho a patrão, enfatizando a criação de conteúdo.

Publicações de Eudes Bezerra
Top