Charge britânica – Todos com você, Winston

Todos com você, Winston
Charge Todos com você, Winston, de David Low, publicada em 14 de maio de 1940. O pôster nacionalista procurou mostrar a determinação e a capacidade de liderança do novo Primeiro-Ministro. Entusiasmado, David Low buscou demostrar a determinação e o otimismo do recém-formado governo de coalizão. Biblioteca Britânica.

Durante a paz, a política de Nelville Chamberlain (Primeiro-Ministro Britânico) foi apontada e debatida como fraca e apaziguante. Na guerra, mostrou o completo caos em que se encontrava o comando britânico. A Grã-Bretanha, mais do que nunca, necessitava de um homem de ferro para lutar contra Adolf Hitler. Em 10 de maio de 1940, Winston Churchill tornou-se o Primeiro-Ministro Britânico e prometeu arregaçar as mangas e enfrentar o Nazi-Fascismo.

Na primeira fileira da charge, encontram-se Winston Churchill e os líderes trabalhistas, Clement Attlee, Ernest Bevin e Herbert Morrison (esq. para dir.). Logo atrás de Churchill, há Neville Chamberlain e outras autoridades da Grã-Bretanha. O “todos com você, Winston” expressou o novo clima de solidariedade e decisão.

Antes de Winston assumir o comando, o cargo de Primeiro-Ministro britânico encontrava-se com Nellvile Chamberlain que, diante da incapacidade em se igualar e guiar sua nação como Hitler, Stalin, Mussolini e outros líderes natos, perdeu apoio político e acabou por renunciar em 9 de maio de 1940. “Chamberlain foi primeiro-ministro britânico entre 1937 e 1940, e está intimamente associado com a política de apaziguamento para a Alemanha nazista.”

Para sucedê-lo, havia apenas duas escolhas sensatas: Churchill e o Conde Halifax (então Ministro do Exterior). Halifax, da Câmara dos Lordes, detinha maior apoio entre os partidos, contudo, era Churchill que possuía o carisma das massas, o necessário apoio da Câmara dos Comuns e grande experiência militar – Winston também não pretendia se submeter ao burocrata (Halifax). Era necessário agir com a experiência de quem foi forjado pelo fogo da guerra e conhecia bem as artimanhas da política.

No dia 10 de maio de 1940, pouco depois das 18h, Churchill foi recebido pelo rei George VI no palácio de Buckinham e se tornou o Primeiro-Ministro Britânico. Churchill assumiu o comando com o surpreendente alarme da invasão alemã nos Países Baixos e na França. Esta, sua grande aliada, teria seu destino selado ainda na segunda semana de campanha – a Churchill logo caberia organizar a Operação Dínamo (Evacuação de Dunquerque), após a humilhante derrota dos Aliados em solo gaulês.

Winston Churchill foi um romântico deslumbrado pela história do homem – fascinado como impérios, povos e simples homens perpetuaram seus feitos ao logo dos tempos. Apesar de humilde e dono de hobbys incomuns para um aristocrata britânico (gostava de pintar paisagens e do ofício de pedreiro – inclusive, com filiação sindical), admirou grandes feitos e homens de fibra do passado. Talvez, tenha almejado profundamente se juntar a eles.

A oportunidade de ser o salvador da nação atraía poderosamente a imaginação romântica e o senso de história de Churchill. Em suas memórias, recorda que, quando se tornou primeiro-ministro, ‘senti como se caminhasse com o destino e toda minha vida passada tivesse sido apenas uma preparação para hora presente e para esta provação’.” (BALL, 2006, p. 158)

Com seu inseparável charuto, romantismo no império britânico e a obstinação de um grande homem, Winston Churchill, mesmo com grandes erros durante a vida, venceu sua segunda guerra mundial.

REFERÊNCIAS:
ALMEIDA, Leandro Antônio de. Churchill, o militar e o mito. Acesso em: 17 maio 2013.
BALL, Stuart. Winston Churchill: Vidas históricas. trad. Gleuber Vieira. Rio de janeiro: Nova Fronteira, 2006.
BBC. Neville Chamberlain (1869 – 1940). Acesso em: 17 maio 2013.
BBC. Churchill becomes Prime Minister. Acesso em: 17 maio 2013.
RAMIREZ, Pedro J. Todos Contigo, Tony. Acesso em: 17 maio 2013.
Autor: Eudes Bezerra

32 anos, pernambucano arretado, bacharel em Direito e graduando em História. Diligencia pesquisas especialmente sobre História Militar, Crime Organizado e Sistema Penitenciário (além de tudo que consta no site). Gosta de ler, escrever e planejar. Na Internet, atua de capacho a patrão, enfatizando a criação de conteúdo.

Publicações de Eudes Bezerra
Top