Martin Luther King: Vida e Política do sonhador

Martin Luther King discursando
Martin Luther King em um dos seus famosos discursos. Créditos: Julian Wasser / LIFE / Getty Images.

Ele tinha um sonho: Martin Luther King.

O discurso de Martin era forte e a sua voz ecoava em defesa de muitas coisas; a principal era o seu grande sonho: ver negros e brancos em harmonia.

Com os ideais que primavam pela igualdade e liberdade, é conhecido em todo o mundo, nação por nação, em um combate pela busca de ver seus irmãos “de pele” tendo seus direitos cidadãos assegurados.

O discurso de Martin não seria muito diferente se fosse vivo, hoje, no mundo contemporâneo, porque muitas vitórias já foram conseguidas, mas o preconceito ainda impera.

camiseta dos panteras negras yuri gagarin e zeppelin hindenburg
www.vestindohistoria.com.br

ÍNDICE

1 Um pouco sobre a vida de Martin Luther King
2 Luta de Martin Luther King
3 Críticas e assassinato
Referências

1 UM POUCO SOBRE A VIDA DE MARTIN LUTHER KING

Nascido na Georgia, Martin Luther King Jr. era filho de uma professora e de um pastor.

Já nos primórdios da infância, sentiu a segregação social que atuava nos Estados Unidos da América ao ser proibido pelos próprios pais de brincar com os seus vizinhos brancos, amigos dele.

Formado em sociologia pela Morehouse College, em 1948, também teve formação teológica pelo Seminário Teológico Crozer, além de doutorado em Teologia Sistemática pela Universidade de Boston.

frases famosa de martin luther king
Uma das famosas frases de Martin Luther King. Créditos: Eudes Bezerra.

2 LUTA DE MARTIN LUTHER KING

Elencaremos aqui alguns dos momentos da participação ativa de Martin Luther King na sociedade, contribuindo para pleitear os direitos dos negros da sociedade norte-americana.

Ano de 1955: liderou um boicote às empresas de ônibus da cidade de Montgomery, cujo objetivo era intimidar o governo a dar um fim na discriminação dos negros dentro dos transportes públicos dos EUA.

A pressão ao governo deu certo, uma vez que a Corte Americana acatou e fez valer o término da discriminação no sistema de transportes públicos.

Ano de 1957: lutando pelos direitos civis, foi líder da Conferência de Liderança Cristã do Sul.

Ano de 1964: recebe o Prêmio Nobel da Paz por combater ativamente e de forma pacífica o preconceito racial nos Estados Unidos.

Ano de 1967: discursou inúmeras vezes, deixando clara a sua posição de protesto a desfavor dos Estados Unidos na Guerra do Vietnã.

Ano de 1968: idealizador da Campanha dos Pobres, a qual tinha diretrizes voltadas para sociedade e economia mais justas.

3 CRÍTICAS E ASSASSINATO

Martin Luther King despertava muito a ira daqueles que eram contrários às ideias de união racial e eram a favor da segregação entre as raças.

Sempre foi alvo de críticas e constantes ameaças, sendo perseguido até sua morte, o que ocorreu no dia 4 de abril de 1968, quando foi assassinado por James Earl Ray.

James, que já havia cometido crimes racistas, alegou que o motivo era o fato de ele considerar Martin um traidor da pátria, pois em todos os seus discursos a sua luta era muito ativa. James achava que estes discursos eram prejudiciais para os Estados Unidos, enfraquecendo o país.

De toda forma, embora desagradassem a muitos, a luta de Martin não foi em vão.

Houve mudanças significativas e foram impostas leis que cessavam com a segregação racial nos EUA. Para que isso acontecesse se sabe que a contribuição de Martin Luther King neste processo foi absurdamente grande.

Ativista político e combatente ferrenho do racismo e preconceito, sempre partiu em defesa de um modo de lutar pacífico, de um mundo mais igualitário em todas as vertentes, sejam sociais, econômicas ou direitos políticos.

Pregava o amor ao próximo já embasado na ponta de sua língua: “O ser humano deve desenvolver, para todos os seus conflitos, um método que rejeite a vingança, a agressão e a retaliação. A base para esse tipo de método é o amor”.


Já conhecia tantos fatos sobre a vida de Luther King? Compartilhe sua opinião aqui nos comentários. Boa leitura e até o próximo artigo!


REFERÊNCIA(S):

ABDUL-JABBAR, Karen. Kareem Abdul-Jabbar: Why I Have Mixed Feelings About MLK Day. Acesso em: 25 jun. 2018.
BLAINEY, Geoffrey. Uma Breve História do Século XX. São Paulo, SP: Fundamento, 2008.
GAMBINO, Megan. Building the Martin Luther King, Jr. National Memorial. Acesso em: 25 jun. 2018.
IMAGEM(NS):
Buscou-se informações para creditar a(s) imagem(ns), contudo, nada foi encontrado. Caso saiba, por gentileza, entrar em contato: [email protected]
Autor: Eudes Bezerra

31 anos, pernambucano arretado e graduado em Direito. Diligencia pesquisas especialmente sobre História Militar, Crime Organizado e Sistema Penitenciário (além de tudo que consta no site). Gosta de ler, escrever e planejar. Na Internet, atua de capacho a patrão, enfatizando a criação de conteúdo.

Publicações de Eudes Bezerra
Top