Astecas: história, sociedade, economia, cultura (resumo)

império asteca
A sociedade asteca era a mais forte à época do desembarque de Hernán Cortés e seus conquistadores. Contudo, os espanhóis estavam graduados em outro nível tecnológico e a civilização ameríndia ainda sofreria com epidemias, como a de varíola. Créditos: autoria desconhecida / Fotomontagem: Eudes Bezerra.

Conhecidos pela força do seu exército e a sua insaciável sede por sacrifícios humanos, os astecas mudaram completamente a vida dos povos do grande lago central do México. Contudo, a severidade com povos dominados eram tratados fez a sua própria ruína quando muitos desses povos se rebelaram ao se aliar Hernán Cortés e os seus conquistadores espanhóis.

camiseta dos astecas
Adquira agora um dos nosso sucessos: a camisa do Império Asteca!

SUMÁRIO

1 Astecas
2 Localização
3 Sociedade e política dos Astecas
4 Cultura dos Astecas
5 Religião dos Astecas
6 Curiosidades sobre os Astecas
Referências

1 ASTECAS

Os astecas acabaram por se tornar uma das mais importantes e influentes civilizações das Américas durante o fim da Idade Média (lembrando que o conceito de Idade Média é exclusivo da Europa, mas aqui pusemos de forma didática).

Os astecas migraram da América do norte para o centro do México, partindo provavelmente da região da Califórnia (atual Estados Unidos). Uma vez na América Central os astecas impuseram seu domínio a outras tribos devido ao forte caráter militar de sua sociedade.

Quando os europeus chegaram à América, existiam, basicamente, dois grupos sociais. O primeiro correspondia ao que as pessoas chamavam de comunidade primitiva, sendo composto por povos nômades.

O segundo grupo era constituído por grandes civilizações, como a dos Incas e os próprios Astecas. Os Maias se encontravam em declínio, mas já haviam gravado seu nome na História.

Os Astecas construíram seu império com aproximadamente 15 milhões de súditos distribuídos por centenas de cidades. A área do império asteca começava no início do golfo do México indo até o Oceano Pacífico.

A mais importante cidade do Império Asteca foi Tenochtitlán, sua suntuosa e bem protegida capital. Estima-se que Tenochtitlán possuía 300 mil habitantes no ano de 1450.

O império dos astecas chegou ao fim oficialmente em 13 de agosto de 1521, quando os espanhóis conquistaram a capital asteca após um agressivo cerco. Após a queda de Tenochtitlán, os espanhóis se tornaram os governantes da região por séculos.

Vamos saber mais sobre o império dos Astecas? Abaixo você confere mais informações sobre a sociedade, cultura, religião, política e outros detalhes sobre esse período. Boa leitura!

espanhóis conquistando os astecas
Hernán Cortés e soldados espanhóis conquistando o império asteca. Créditos: Emanuel Leutze / Coleção Museu Wadsworth Atheneum.

2 LOCALIZAÇÃO

Os astecas ocuparam uma grande área do atual Estado do México e a sua principal cidade era Tenochtitlán, que ficava exatamente na atual Cidade do México.

À época Tenochtitlán se encontrava no centro de um imenso lago que não existe mais, o Lago de Texcoco. Tal lago, por ser fechado (não ter curso de água), mostrou-se um grande aliado na proteção do império asteca e agricultura.

Bacia do México à época dos espanhóis
A Bacia do México à época da chegada dos conquistadores espanhóis. Créditos: Sémhur / Creative Commons.

3 SOCIEDADE E POLÍTICA DOS ASTECAS

A sociedade dos Astecas era diversa e hierarquizada. No auge do seu poder, a sociedade desse povo chegou a ter, aproximadamente, 15 milhões de pessoas.

Os Astecas cobravam impostos dos povos conquistados, sendo o pagamento de duas possíveis formas:

  • Por meio da provisão de alimentos ou joias; e
  • Por meio da cessão de escravos para a realização dos sacrifícios;

As classes sociais entre esse povo eram reconhecidas por meio dos seus privilégios, direitos e vestimentas.

No topo da sociedade, estava o imperador. Ele era considerado um representante do Tezcatlipoca, o deus supremo dos Astecas e era chamado de Huey Tlatoani. Os Astecas possuíam um panteão de vários deuses.

Os imperadores viviam em grande luxo, porém também eram obrigados a ofertar o sangue para os deuses. Além disso, eles também tinham que mostrar suas habilidades como guerreiros.

Abaixo do imperador se encontrava estava a nobreza, outra classe social. Estima-se que 10% da população asteca fazia parte da nobreza. Uma parte da população tinha cargos que estavam relacionados com a administração do império. Essa população era chamada de tecuhtli.

Havia ainda um grupo inferior a nobreza que era chamado de pipiltin. Depois da nobreza, estavam os homens comuns. Eles eram chamados de macehualtin, um grupo que constituía uma grande massa social. Esses grupos das camadas inferiores poderiam chegar a se tornar nobres, caso se destacassem na sociedade.

Por último, vinha o grupo dos escravos, chamados de tlacotin. As pessoas não nasciam escravo na sociedade asteca. O que acontecia era que eles transformavam criminosos ou pessoas endividadas em escravos.

escultura de guerreiro águia asteca
Escultura do Guerreiro Águia asteca. A classe dos guerreiros águias era uma das mais populares do beligerante império asteca. Créditos: ·Maunus·ƛ· / Creative Commons.

4 CULTURA DOS ASTECAS

O maior destaque na cultura asteca ficava por conta da sua arquitetura, onde as imensas pirâmides se destacam e intrigam historiadores.

A pintura, que mostrava cenas históricas e mitológicas, também era bastante desenvolvida por esses povos. Além disso, existia as esculturas que contavam principalmente com símbolos religiosos.

Os Astecas tinham ainda técnicas avançadas na construção de rampas de transporte, palanques, represas e obras de irrigação.

Também possuíam domínio com a escrita pictórica. Essa, por sua vez, era feita por meio de figuras e desenhos de objetos. Por exemplo, uma pessoa falando era representada com tiras de papel saindo da sua boca.

Fora a escrita pictórica, os Astecas usavam também a escrita hieroglífica. Essa tinha como base sons e símbolos.

Os Astecas tinham ainda um conhecimento profundo sobre matemática, medicina e astronomia. Eles também elaboraram um calendário agrícola e solar, dividindo o ano em mais de 365 dias.

Os sacerdotes analisavam os astros e eram procurados para debater sobre os mais variados assuntos. O imperador, por exemplo, consultava os sacerdotes para falar sobre mudanças de tempo ou guerras.

asteca vítima de varíola
Ilustração de vítima sofrendo com varíola durante a epidemia que assolou os ameríndios à época da conquista dos astecas pelos espanhóis. Créditos: Bernardino de Sahagún.

5 RELIGIÃO DOS ASTECAS

Os astecas, como já visto, eram politeístas, isto é, tinham a crença em vários deuses. A religião asteca teve como base culturas de povos mesoamericanos. Porém, não foi apenas os povos astecas que tinham essa base.

O deus Quetzacoatl pode ser considerado um bom exemplo da influência de outras culturas para os Astecas. Esse deus era conhecido por Kukulkán pelos maias.

O deus mais poderoso, considerado pelos Astecas, era Tezcatlipoca um deus de origem de outra sociedade, a dos Olmecas. Tlaloc também era outro deus importante para eles (esse deus representava a fertilidade e a água).

Algo bem importante na religião asteca era o sacrifício que os humanos precisavam fazer. Eles acreditavam que isso era necessário para que os deuses ficassem satisfeitos e para que o Sol continuasse a brilhar. Os sacrifícios astecas ocorriam a partir da retirada do coração de uma pessoa.

O que se acredita é que essa prática veio da cultura dos povos toltecas. Isso porque, historiadores descobriram evidências que mostrava esses povos realizando essas práticas. A partir de mitos dos povos toltecas, foi encontrado a justificativa do porque os astecas faziam esses sacrifícios.

De acordo com esses mitos, o deus asteca Quetzacoatl deu o próprio coração em um desses atos de sacrifício. Por causa disso, a realização desses sacrifícios era considerada como o pagamento de uma dívida aos deuses, além de fazer com que o sol continuasse funcionando, pois teria forças para se levantar.

sacrifício asteca arrancando coração
Mesmo durante a paz, os astecas, por conta de suas crenças, deviam que realizar seus sacrifícios de carne e sangue aos deuses e a saída para essa aparente situação era a criação de “guerras floridas” (competições de bravura com o objetivo de se capturar vítimas para os sacrifícios). Créditos: Pierre Joubert.



6 CURIOSIDADES SOBRE OS ASTECAS

  • A capital asteca, Tenochtitlán, foi construída no ano de 1325. Depois que os espanhóis dominaram o local, a Cidade do México ficou em seu lugar. O nome Tenochtitlán significava Rocha de Cactus. Os templos foram destruídos e as peças de ouro foram quase todas derretidas.
  • Para agradar e satisfazer o deus da guerra e do Estado, Huitzilopochtli, os Astecas ofertavam corações de humanos em rituais religiosos de sacrifício.
  • O ano asteca durava cerca de 18 meses e ainda tinha mais cinco dias extras. Cada mês era formado por vinte dias. Um ciclo se fechava a cada cinquenta e dois anos. Com base nos estudos feitos por eles, os Astecas conseguiam definir as datas em que aconteceriam os eclipses.
mapa do território asteca
Extensão máxima do império asteca. Créditos: autoria desconhecida / Creative Commons.

Gostou de saber mais sobre o Império dos Astecas? Então não deixe de conferir nossa super camisa a respeito desse aguerrido povo!
camiseta de história


REFERÊNCIA(S):

CORTEZ, Hernan. A Conquista do México. trad. Jurandir Soares dos Santos. Porto Alegre: L&PM, 2011.
CUMMINS, Joseph. As Maiores Guerras da História. trad. Vania Cury. Rio de Janeiro: Ediouro, 2012.
Sua Pesquisa. História dos Astecas. Acesso em: 23 abr. 2019.
VINCENTINO, Cláudio; DORIGO, Gianpaolo. História Geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, 2002.
WEIR, William. 50 Líderes Militares que Mudaram a História da Humanidade. trad. Roger Maioli dos Santos. São Paulo: M. Books do Brasil Editora Ltda, 2009.
IMAGEM(NS):
Buscou-se informações para creditar a(s) imagem(ns), contudo, nada foi encontrado. Caso saiba, por gentileza, entrar em contato: [email protected]
Autor: Eudes Bezerra

31 anos, pernambucano arretado e graduado em Direito. Diligencia pesquisas especialmente sobre História Militar, Crime Organizado e Sistema Penitenciário (além de tudo que consta no site). Gosta de ler, escrever e planejar. Na Internet, atua de capacho a patrão, enfatizando a criação de conteúdo.

Publicações de Eudes Bezerra
Top