Burguesia: Origem e características (resumo)

Burguesia comercializando
A Burguesia surgiu durante o fim da Idade Média, no processo de crescimento e urbanização das cidades e fim do decadente feudalismo. Créditos: autoria desconhecida.

Burguesia atualmente é um termo muito designado para representar uma classe nobre, rica e de destaque na sociedade. Já existe até mesmo a variação no diminutivo “burguesinha” e “ burguesinho”.

Originalmente, o termo usado hoje, não foge muito ao significado histórico e original. Burguesia neste sentido, era exatamente a classe social de destaque na época, indivíduos que dominavam os bens, o capital.

Este conceito deriva de “burgos”, “pequenas cidades”. Os burgueses apareceram em meados da Idade Média, no processo de crescimento e urbanização das cidades.

SUMÁRIO

1 Entendendo o nascimento da Burguesia
2 Valores da Burguesia
3 Renascimento Comercial que se expande
4 Renascimento Cultural
Referências

1 ENTENDENDO O NASCIMENTO DA BURGUESIA

No final da Idade Média, tendo em vista a crise do Feudalismo, sistema estamental e descentralizado, tinha a burguesia como classe que estava surgindo.

Dotados de objetivos que visavam as intensas transações comerciais, precisavam de um governo forte e centralizado que incentivasse tais relações.

As primeiras trocas comerciais eram feitas em feiras que impulsionaram pessoas e mais pessoas nestes locais e aos arredores, contribuindo para o crescimento urbano.

Eles possuíam uma sistemática bem organizada, tanto que tinham associações que incentivavam o comércio, as chamadas guildas; além de se reunirem quando necessário nas Corporações de ofícios.

O maior objetivo da burguesia era a ascensão e mobilidade social, uma vez que o antigo regime não permitia tal procedimento, pois como dito anteriormente a sociedade era estamental (parada, estagnada, onde quem nasce agricultor morre agricultor, etc.).

2 VALORES DA BURGUESIA

  • Busca pela igualdade entre nobres e burgueses;
  • Desenvolvimento de estratégias para modificar os dogmas católicos para o lucro exacerbado, já que era uma condenação cristã imposta pela Igreja.
  • Acabar com o Feudalismo e a centralização do poder feudal;
  • Criação de uma moeda própria para os burgos para uma maior segurança nas transações comerciais;
  • Liberdade e igualdade civil, mesmo não sendo tão bem vistos por muitos que questionavam sua natureza errante, pois os burgueses eram tidos como errantes por sua riqueza não ser de Deus.
Banqueiro burguês contando dinheiro
Um banqueiro e sua esposa contando o faturamento do seu empreendimento. Créditos: autoria desconhecida.

3 RENASCIMENTO COMERCIAL QUE SE EXPANDE

Somado a estes fatores, é possível ver também a busca por valores coletivos e individuais pautados na busca da liberdade individual, direitos e abertura intensificada do comércio.

Este Renascimento muito tem a ver com a expansão marítima ocorrida nos séculos XV e XVI, a época das Cruzadas, e abertura do mar mediterrâneo com o intuito de chegar às Índias.

4 RENASCIMENTO CULTURAL

Comércio intensificado, urbanização, mentalidade e busca por novas experiências sociais resultou em um Renascimento Cultural, cuja maior característica era o Humanismo, tendo no homem o centro de tudo.

Libertava-se então das amarras do teocentrismo cristão e juntamente com ele toda uma cultura que a partir daí ficaria sepultada na Idade Média.

Ainda se desenvolvendo, a burguesia passa pela Revolução na França e seus ideais libertários no século XVIII e também pela Revolução Industrial no século XIX, e toma conta da sociedade sempre com o papel de destaque inovador, dominando assim o sistema capitalista.

E agora diante de um Estado absolutista o rei tem mesmo o poder?

O rei tinha o poder na teoria, mas na prática quem dominava tudo estava sendo a burguesia e eles tinham esta consciência.

Isso fica provado do momento em que a burguesia se assegura de que são eles o alicerce que segura as demais classes, então a qualquer movimentação de repressão ou contrária aos seus ideais, há manifestações.

E assim como já falado, protagonizam como força motora duas das revoluções mais importantes da História, revoluções essas que desestabilizam o absolutismo vigente e enfraquece o poder da Igreja.

Mais tarde após a Revolução Industrial, e tomando como dominante o sistema capitalista, nasce uma das oposições mais ferrenhas do processo histórico: o antagonismo das classes burguesas e proletárias.


camisetas de história
Escolha de história sua camisa agora!

Você sabia da história da burguesia? É muito bom mergulhar na história e aprender cada vez mais. Deixe sua opinião. Boa leitura e reflexão. Até o próximo artigo!


REFERÊNCIA(S):

BEZERRA, Eudes. Grandes Navegações, a Era dos Descobrimentos. Acesso em: 02 jun. 2020.
BRAICK, Patrícia Ramos; MOTA, Myriam Becho. História: das cavernas ao terceiro milênio. 3ª ed. reform. e atual. São Paulo: Moderna, 2007.
VINCENTINO, Cláudio; DORIGO, Gianpaolo. História Geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, 2002.
IMAGEM(NS):
Buscou-se informações para creditar a(s) imagem(ns), contudo, nada foi encontrado. Caso saiba, por gentileza, entrar em contato: [email protected]
Autor: Eudes Bezerra

33 anos, pernambucano arretado, bacharel em Direito e graduando em História. Diligencia pesquisas especialmente sobre História Militar, Crime Organizado e Sistema Penitenciário (além de tudo que consta no site). Gosta de ler, escrever e planejar. Na Internet, atua de capacho a patrão, enfatizando a criação de conteúdo.

Publicações de Eudes Bezerra
Top