Frases famosas e a sua origem em resumos rápidos!

frases famosas e a sua origem
Frases e termos famosos, conheça a sua origem. Créditos: Karl Briullov / Fotomontagem: Eudes Bezerra.

Frases famosas, termos curiosos ou expressões até comuns, mas que têm um significado incrível quando revelada a sua origem.

Às vezes se trata de um fato de grande relevância do passado ou mesmo de nascimento mitológico, outras vezes é pura mentira… Aqui, nesta matéria, construiremos uma longa lista com diversas curiosidades do mundo sobre frases e termos famosos (esperamos que goste!).

Caso queira se aprofundar, a referência principal de cada curiosidade se encontra imediatamente ao seu fim, sendo sempre que possível mediante links para o site da Amazon.

Por que Amazon? Porque comprando livros físicos ou digitais (ebooks) através dos nossos links, você nos ajuda (e sem pagar nada por isso). Somos afiliados do site e ganhamos uma pequena comissão por cada venda.

Dessa forma, caso seja do interesse, você pode adquirir um bom livro e nos ajudar.

Sem mais conversa, segura essa tijolada sobre frases famosas!

SUMÁRIO

#1 Chame alguém de vândalo com propriedade!
#2 Veni, Vidi, Vici – “Eu vim, Eu vi, Eu venci!”
#3 Até tu, Brutus? Entenda o que sua mãe queria te dizer!


FRASES FAMOSAS #1: OS VÂNDALOS SAQUEIAM ROMA!

saque vândalo a roma
Genserico saqueia Roma (1833-1836), de Karl Briullov, onde se busca retratar o Saque de Roma pelos Vândalos no ano de 455. Obra constante na Galeria Estatal Tretyakov, em Moscou, Rússia.

Atualmente conhecido como alguém que arbitrariamente destrói ou danifica propriedades, o termo vândalo encontra sua origem em um povo bárbaro de origem germânica e contemporâneo ao Império Romano, os Vândalos.

Em 2 de junho de 455, os guerreiros vândalos, liderados pelo hábil Genserico, invadiram a cidade de Roma em uma façanha notória, quando transpuseram o mar Mediterrâneo com número extraordinário de embarcações a fim de saques na Península Itálica.

Em Roma, além de executar uma pilhagem implacável, sequestraram a imperatriz Licínia Eudóxia e suas filhas.¨

Embora a Cidade Eterna (Roma) já tivesse sido alvo de saques por duas vezes – com os gauleses em 387 a.C. e os visigodos em 410 –, a ação dos Vândalos foi considerada particularmente violenta e destrutiva, o que forneceu subsídios para que a crença cristã os tornasse sinônimo de destruição e barbárie.

REFERÊNCIA PRINCIPAL:
ADDIS, Ferdie. A Caixa de Pandora: As curiosas histórias da mitologia por trás de expressões do nosso dia a dia. trad. Pedro Câmara. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2012.

FRASES FAMOSAS #2: VENI, VIDI, VICI, DE JÚLIO CÉSAR!

veni vidi vici Júlio César
“Eu vim, eu vi, eu conquistei”, uma das tantas célebres e obstinadas frases do primeiro grande césar romano, Júlio César. Créditos: autoria desconhecida. Fotomontagem: Eudes Bezerra.

A célebre expressão de autocongratulação costuma ser utilizada nas mais diferentes ocasiões, mas sempre, sem exceção, para demonstrar sucesso pessoal e absoluto.

A frase, de acordo com o historiador romano Seutônio, teria sido eternizada por Júlio César para proclamar sua vitória total na Batalha de Zela, na atual Turquia.

No ano de 47 a.c., Fárnaces II, rei do Ponto, havia se rebelado contra o domínio romano e massacrado a pequena guarnição latina ali estacionada.

Entretanto, a simplória vitória de Fárnaces sobre os romanos logo foi suplantada, quando legionários sob o comando de César rapidamente marcharam e esmagaram os revoltosos, ocasião em que, mais uma vez incontestavelmente vitorioso, proferiu: “Veni, vidi, vici” – “Eu vim, eu vi e eu conquistei”.

A expressão tanto serviu para a autoproclamação do todo-poderoso general e ditador romano quanto para transmitir sua mensagem de poder aos inimigos, visto que na época Roma passava por uma guerra civil.

César possuía muitos inimigos no Senado e, talvez, o único homem que pudesse detê-lo – Pompeu, o Grande – havia sido assassinado no Egito de Cleópatra (não a mando dela). Júlio César, sem dúvida, era o homem mais poderoso de sua época.

Cigarro Marlboro com Veni, Vidi, Vici no rótulo

Mudando um pouco de assunto, temos uma curiosidade bem singela: até um tempo atrás as carteiras do supramencionado cigarretes vinham curiosamente com essa inscrição em seu rótulo. A escrita era minúscula, mas notável…

Algo no mínimo curioso para uma carteira de cigarro que pode provocar uma série de malefícios à saúde.

Palavras de um ex-fumante que tragou por muitos anos o dito cujo cigarro. As imagens ainda podem ser consultadas facilmente na Internet.

 REFERÊNCIAS PRINCIPAIS:
ADDIS, Ferdie. A Caixa de Pandora: As curiosas histórias da mitologia por trás de expressões do nosso dia a dia. trad. Pedro Câmara. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2012.
CAWTHORNE, Nigel. Os 100 Maiores Líderes Militares da História. trad. Pedro Libânio. Rio de Janeiro: DIFEL, 2010.

FRASES FAMOSAS #3: O LAMENTO DE JÚLIO CÉSAR – “ATÉ TU, BRUTUS?

morte de júlio césar
Júlio César provavelmente não proferiu tais palavras, não teria tido nem tempo. Créditos: La Morte di Cesare, 1805. Pintor: Vincenzo Camuccini (1771-1844). Obra constante na Galeria Nacional de Arte Moderna, em Roma, Itália.

A famosa expressão teria sido pronunciada pelo líder romano Júlio César diante da traição de seu pupilo, Marco Bruto. A expressão é costumeiramente empregada para censurar um amigo desleal, traiçoeiro.

Em 44 a.c., o poder que o general e ditador romano Júlio César, conquistador da Gália e regente de parte considerável do mundo conhecido, parecia não mais ter fim. César chegou onde nenhum outro romano havia chegado. Com tamanho poder, aristocratas invejosos conspiraram contra sua vida.

César teve seu poder e vida traiçoeiramente roubados em 15 de março de 44 a.c, quando assassinado no teatro de Pompeia, em Roma. Seus conspiradores foram liderados por Caio Cássio Longino e Marco Bruto — este era um amigo íntimo de César, quase um filho adotivo.

Os conspiradores (cerca de sessenta) acordaram que todos deveriam desferir um golpe em Júlio César, para que a culpa pelo assassinato fosse compartilhada por todos.

Quando César entrou no teatro onde o Senado se reunia, em plena luz do dia, viu-se como alvo dos traiçoeiros pugios (adagas, punhais), que o perfuraram de todos os lados.

Segundo Plutarco, César lutou contra seus agressores até que viu Marco Bruto, armado com um punhal, vindo em sua direção. Chocado com essa traição, César caiu no chão cobrindo a cabeça com a túnica – Bruto desferiu o golpe no seu “pai adotivo”.

Muitos historiadores discordam quanto às últimas palavras de César e alguns sustentam que ele não teria tido tempo algum para pronunciá-las. Contudo, a história que virou lenda é que César teria dito et tu, Brute? (“Até tu, Brutus?”) antes de morrer.

REFERÊNCIAS PRINCIPAIS:
ADDIS, Ferdie. A Caixa de Pandora: As curiosas histórias da mitologia por trás de expressões do nosso dia a dia. trad. Pedro Câmara. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2012.
CAWTHORNE, Nigel. Os 100 Maiores Líderes Militares da História. trad. Pedro Libânio. Rio de Janeiro: DIFEL, 2010.

Próxima atualização: setembro/2020!

Autor: Eudes Bezerra

33 anos, pernambucano arretado, bacharel em Direito e graduando em História. Diligencia pesquisas especialmente sobre História Militar, Crime Organizado e Sistema Penitenciário (além de tudo que consta no site). Gosta de ler, escrever e planejar. Na Internet, atua de capacho a patrão, enfatizando a criação de conteúdo.

Publicações de Eudes Bezerra
Top