O abraço coletivo antes do Massacre da Praça da Paz Celestial

jovens fazendo barreira de proteção para proteger militares
O “abraço coletivo” antes do Massacre da Praça da Paz Celestial. Créditos: Mark Avary / AP Photo.

Manifestantes unidos braço a braço para impedir que multidão perseguisse e apedrejasse soldados em retirada acusados de atacarem outros manifestantes na noite anterior.

O “abraço coletivo” foi mobilizado na intenção de se encerrar a escala de violência e propiciar o debate justo e democrático. As pessoas no fundo da imagem se encontram sobre ônibus que serviu de obstáculo.

O registro fotográfico data 3 de junho de 1989 e ocorreu em Pequim, na China, antecedendo em pouco mais de 24 horas o famoso Massacre da Praça da Paz Celestial, no qual aproximadamente 40 mil militares empregaram pura brutalidade para dispersar cerca de 100 mil manifestantes que protestavam por democracia, transparência na gestão pública e tantos outros desejos comuns às democracias mais virtuosas.

Do evento, destaca-se a imortalizada imagem do manifestante solitário que, “armado” com sacolas, bloqueou uma coluna inteira de tanques de guerra e ficou conhecido como o Rebelde Desconhecido.

REFERÊNCIAS:
BLAINEY, Geoffrey. Uma Breve História do Século XX. São Paulo, SP: Fundamento, 2008.
HOBSBAWM, Eric. A Era dos Extremos: O Breve Século XX: 1914-1991. trad. Marcos Santarrita. 2 ed. 46 imp. São Paulo: Companhia de Letas, 2012.
MARX, Bettina. 1989: Massacre na Praça da Paz Celestial. Acesso em: 3 dez. 2014.