Grécia Antiga: história e características (resumo)

Apoteose de Homero
Filosofia, retórica, democracia, teatro, política e muitas outras áreas se desenvolveram na Grécia Antiga. Nesse resumo você vai saber um pouco mais! Créditos: A Apoteose de Homero, de Jean Auguste Dominique Ingres / Museu do Louvre / Fotomontagem: Eudes Bezerra.

A Grécia Antiga é conhecida por sua profunda influência sobre o mundo ocidental e a criadora de muitos dos seus valores. Filosofia, retórica, democracia, teatro, política e muitas áreas se desenvolveram sob a Grécia Antiga que lançou as bases do mundo que vivemos hoje.

A Grécia Antiga era o que chamavam de colcha de retalhos: diversas cidades independentes que viviam sob a mesma cultura, mas sem grandes vínculos de união. Geralmente situadas ao redor do mar Egeu, tendo o mar Mediterrâneo ao sul, as cidades gregas se “expandiram” para diversos continentes.

Se você deseja saber mais sobre a Grécia Antiga, uma das civilizações que mais influenciou a sociedade contemporânea, continue lendo esse artigo.

Vamos abordar mais detalhes sobre a história, religião, arte, principais cidades e outras curiosidades (confira também os links ao longo do texto para aprofundamento).

camiseta espartano
Vista sua couraça pela glória de Esparta e honra de Leônidas e seus bravos 300!

SUMÁRIO

1 Como surgiram as primeiras civilizações da Grécia Antiga?
2 Política na Grécia Antiga
3 Economia na Grécia Antiga
4 Sociedade na Grécia Antiga
5 Cultura na Grécia Antiga
6 Religião na Grécia Antiga
Referências

1 COMO SURGIRAM AS PRIMEIRAS CIVILIZAÇÕES DA GRÉCIA ANTIGA?

Na ilha de Creta (sul do mar Egeu), mais ou menos no ano 3000 a.C., teria nascido e florescido a primeira grande civilização da Grécia Antiga, Creta, sendo esta civilização bastante ligada à vida no mar (por ser uma ilha).

Além disso, a ilha de Creta era um ponto de encontro entre os povos da Grécia Continental e pessoas que moravam na Região do Egito Antigo e da Mesopotâmia.

Por conta desse contato mais diversificado, o desenvolvimento de uma cultura bastante rica foi favorecido, cujo objetivo era valorizar a beleza e as expressões artísticas.

A civilização cretense também ficou conhecida por civilização minoica. Isso se deve ao fato de que os reis eram conhecidos por minos. No que se refere à política, eles eram caracterizados como uma monarquia.

Por volta do ano 2000 a.C., a Grécia passou a ser ocupada pelos jônios, aqueus, eólios e dórios. Esses povos indo-europeus fundaram cidades e deram seus traços culturais próprios. Assim, cada uma delas passou a ser organizada de acordo com as tradições de cada grupo.

Os genos constituíam a formação social primitiva desses grupos, que eram grupos governados pelo patriarca, o membro mais velho do grupo, e viviam da agricultura e pastoreio, sendo a terra de propriedade coletiva.

Como a terra era de propriedade coletiva e todos deveriam trabalhá-la, ocorria a divisão de alimentos entre seus membros.

Os genos evoluíram para cidades-Estados gregas, que eram chamadas de pólis. Essa evolução ocorreu por conta da união entre as famílias, que buscavam proteção contra outras famílias.

Pintura Apoteose de Homero
A Apoteose de Homero, de Jean Auguste Dominique Ingres, mostra o tributo de diversas figuras importantes (e algumas personagens) ao grande poeta da Grécia Antiga e criador dos clássicos Odisseia e Ilíada. Créditos: Jean Auguste Dominique Ingres / Museu do Louvre, Paris.

2 POLÍTICA NA GRÉCIA ANTIGA

A Grécia Antiga não era um país unificado. A realidade é que era um conjunto de cidades que compartilhavam costumes, algumas leis e uma língua (traço importantíssimo para ser considerado grego).

Porém, muitas dessas cidades não se davam muito bem e outras eram inimigas ferrenhas, como no clássico caso de Esparta e Atenas.

De todas as formas, no Período Clássico, os gregos buscavam maneiras de cultivar a beleza e a virtude e faziam isso desenvolvendo as artes da pintura, arquitetura, música, escultura.

Assim, os gregos antigos acreditavam que as pessoas teriam como contribuir de alguma forma para o bem-comum, sendo dessa forma que a teria nascido a democracia na Grécia Antiga.

democracia na grécia antiga
A democracia ateniense inspirou profundamente Roma, que viria a criar importantes leis, como as do imperador Justiniano. Créditos: autoria desconhecida.

3 ECONOMIA NA GRÉCIA ANTIGA

A economia da Grécia Antiga era baseada no cultivo das oliveiras, do trigo e do vinhedo. Na região do Mar Mediterrâneo, houve um destaque para as práticas de artesanato, especialmente a cerâmica.

Através do comércio marítimo, os gregos transportavam vinhos, azeites e perfumes. Esses transportes ocorriam para várias partes da península. Isso fez com que os gregos tivessem um desenvolvimento econômico considerável. Por isso, o dracma, moedas de metal, começaram a ser criados.

Os escravos, prisioneiros de guerra e os devedores, normalmente, era a mão de obra utilizada para o comércio. Vale ressaltar que as cidades-Estados tinham sua própria forma de exercer a política e a administração. Isto é, elas eram autônomas e também tinham suas próprias organizações sociais e deuses protetores.

4 SOCIEDADE NA GRÉCIA ANTIGA

Cada polis tinha sua própria organização social. Algumas, como Atenas, permitiam a escravidão, por causa de guerras ou dívidas. Já Esparta, por exemplo, não mantinha muitos escravos. Esparta contava com servos estatais (hilotas), que pertencia ao governo espartano.

Tanto Atenas como Esparta contava com uma oligarquia que tinha o trabalho de governá-la. Quem também dispunha de poder para governar eram os proprietários de terras cultiváveis.

Em Atenas, também existia os metecos. Metecos era o nome dado para os estrangeiros que moravam na cidade. Os estrangeiros não podiam participar das decisões políticas da polis, uma vez que apenas os cidadãos nativos da cidade que tinham esse direito.

5 CULTURA NA GRÉCIA ANTIGA

A Grécia Antiga contribuiu bastante com a cultura que temos atualmente no mundo. Além da cultura, o esporte e a religião, também tiveram generosas contribuições por parte da Grécia Antiga. Nesse sentido, a cultura grega possuía grande ligação com a religião.

A música, o teatro e a literatura eram contados com base no que os heróis de sua religião realizavam. Também se contava histórias com base no que os heróis presenciavam com relação aos deuses que viviam no Olímpio.

As peças teatrais eram bem famosas e todas as cidades tinham o seu espaço para apresentar as comédias e tragédias. Já as músicas eram fundamentais para acompanhar atos religiosos e alegrar banquetes civis. Os instrumentos principais eram os tambores, as flautas e as harpas.

Desses três instrumentos, a harpa era uma das mais importantes. Isso porque era com a ajuda dela que poesias eram declamadas naquela época. Fora isso, os gregos também merecem destaque na arquitetura e nas artes plásticas.

Por fim, foi justamente no período da Grécia Antiga que os primeiros Jogos Olímpios aconteceram. A ideia era fazer uma homenagem aos deuses, sendo o esporte uma importante forma de celebrar a aliança entre os povos.

teatro da grécia antiga
O teatro grego já era um verdadeiro espetáculo, tendo diversas funções e muito roteiro a ser seguido. Créditos: autoria desconhecida.

6 RELIGIÃO NA GRÉCIA ANTIGA

A religião nessa época era politeísta. Como os deuses recebiam a influência de diversos povos, eles foram assimilando novos deuses de outras culturas até constituir seu panteão.

As estórias que contavam sobre os deuses, serviam de lição para a sociedade e também para justificar atos de paz e guerra. Os deuses também intercediam na vida cotidiana. Em resumo, era como se existisse uma deidade para cada função.


Agora você conhece como se deu a história da Grécia Antiga. Mas não vá embora ainda. Que tal conhecer a nossa loja? Diversos artigos baseados em história que você vai adorar! Clique aqui e aproveite! 

camisetas de história


REFERÊNCIA(S):

BERNARDES, Luana. Grécia Antiga. Acesso em: 14 maio 2019.
VINCENTINO, Cláudio; DORIGO, Gianpaolo. História Geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, 2002.
RATHBONE, Dominic. História ilustrada do mundo antigo: Um estudo das civilizações da Antiguidade, do Egito dos faraós ao Império Romano, passando por povos das Américas, da África e da Ásia. trad. Clara Allain. São Paulo: Publifolha, 2011.
GIORDANI, Mário Curtis. Antiguidade Clássica I: História da Grécia. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 1972.
IMAGEM(NS):
Buscou-se informações para creditar a(s) imagem(ns), contudo, nada foi encontrado. Caso saiba, por gentileza, entrar em contato: [email protected]
Autor: Eudes Bezerra

31 anos, pernambucano arretado e graduado em Direito. Diligencia pesquisas especialmente sobre História Militar, Crime Organizado e Sistema Penitenciário (além de tudo que consta no site). Gosta de ler, escrever e planejar. Na Internet, atua de capacho a patrão, enfatizando a criação de conteúdo.

Publicações de Eudes Bezerra
Top